Bela Vista recebe mais 130 doses de vacina e atualiza Plano de Imunização

Foto: Filipe Muniz

Mais 130 doses da vacina Coronavac chegaram em Bela Vista do Paraíso. Com as novas unidades, o município vai dar sequência ao Plano Municipal de Imunização contra o coronavírus, que foi atualizado. Os próximos da fila serão os profissionais de saúde da rede privada e idosos acima de 90 anos.

De acordo com o Departamento de Saúde, serão várias opções para que os idosos acima de 90 anos se vacinem. Para os casos que requerem agendamento, o número é o 3242-1545, com atendimento das 7h30 às 17h. Veja os detalhes:

Os acamados que já são atendidos pelo município serão procurados para receberem a dose. Já aqueles acamados que não são atendidos precisarão agendar.

Aqueles que puderem se deslocar, devem agendar para serem atendidos em um desses locais:

Centro Social da Igreja Matriz, de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h;
Posto de Saúde de Santa Margarida: às quartas-feiras, das 8h às 11h e das 13h às 17h;
Sesc Bela Vista (sistema drive-thru): às quartas e sextas-feiras, das 9h às 12h e das 14h às 18h.

É necessário levar CPF, RG e Cartão de Vacinação.

Outro grupo que será imunizado nessa fase são os profissionais de saúde que trabalham na rede particular da cidade. Eles não precisarão se inscrever. Um levantamento já está sendo feito pelo Departamento de Saúde para identificar e contatar essas pessoas para agendar a imunização.

Até então, Bela Vista havia recebido 236 doses de vacina, incluindo a do Butantan e da AstraZeneca. Agora, o total de imunizante recebidos sobe para 366.

NOVA VERSÃO

A versão quatro do Plano Municipal de Imunização colocou apenas os idosos com mais 90 anos no primeiro grupo prioritário. Antes, eram os maiores de 75 anos.

Dessa forma, passam para o segundo grupo prioritário os idosos de 60 a 89 anos, não mais os de 60 a 74 anos, como era na versão três.

O terceiro grupo segue sendo o de pessoas com as seguintes comorbidades: diabetes mellitus, hipertensão arterial grave, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, indivíduos transplantados de órgão sólido, anemia falciforme, câncer e obesidade grave.

O grupo quatro, formado por professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e população privada de liberdade também não mudou.