Campanha vai recolher lixo eletrônico em Bela Vista

A população de Bela Vista do Paraíso poderá dar a destinação correta para o seu lixo eletrônico em uma campanha de coleta que será feita na cidade. Caminhões da ONG E-Letro, de Londrina, estarão em frente à Prefeitura Municipal no sábado (20), das 9h às 14h. Veja abaixo quais eletrônicos serão recolhidos.

A campanha é realizada pelo Curso Técnico de Meio Ambiente do Colégio Brasílio de Araújo, em parceria com o Departamento de Agricultura e Meio Ambiente. Também serão arrecadados livros usados para serem doados a um projeto do Rotary Club de Bela Vista, que tem a Associação das Senhoras Rotarianas como parceiras da campanha.

A ONG não recolhe pilhas nem lâmpadas. Foto: Divulgação.

O professor do curso técnico Daniel Pereira da Silva falou sobre os problemas de descartar esses objetos na natureza. “O e-lixo é extremamente prejudicial ao ambiente e perigoso à vida quando descartado de maneira irregular. Nós não vemos, mas os equipamentos eletrônicos possuem muitos subprodutos, metais pesados, por exemplo”, disse.

A lista de eletrônicos que poderão ser recolhidos é longa, mas não inclui pilhas e lâmpadas. “Estamos tentando uma parceria [para recolher] mas está difícil. Por enquanto, sempre que temos levamos a Londrina, onde várias lojas recolhem. Pra conseguirmos uma parceria teria que ter uma grande quantidade de pilhas e lâmpadas, mas estamos estudando uma solução”, contou o professor.

O professor do curso técnico Daniel Pereira da Silva falou sobre os problemas de descartar esses objetos na natureza. Foto: Divulgação

A CAMPANHA

De acordo com Daniel da Silva, a ideia de recolher lixo eletrônico surgiu há três anos. “Naquele ano, por incrível que pareça fui procurado pelo pessoal do Rotary, com a mesma ideia. Então procuramos um parceiro para destinar os resíduos e encontramos a ONG E-LETRO, uma ONG de Londrina que recolhe lixo eletrônico e descarta/recicla de maneira correta”, contou o professor.

A coleta já foi feita em dois anos, mas acabou não acontecendo em 2018 por falta de local para destinar os objetos.

 

”Facebook”/