Risco de epidemia de dengue em Bela Vista atinge maior patamar dos últimos anos

Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

O risco de epidemia de dengue, medido pelo Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti (LIRAa), atingiu o maior patamar de, pelo menos, os últimos três anos. No levantamento feito em janeiro desse ano, Bela Vista do Paraíso está com 19,7%, o que significa que quase 20% dos imóveis do município estão com larvas do mosquito que transmite dengue, zika, chikungunya e até a febre amarela.

RECEBA AS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP
envie #Telégrafo para 98851-7034

O aumento no índice de janeiro costuma ser maior do que o dos meses anteriores devido à chuva e ao calor do verão. Porém, o número registrado em 2019 é muito alto, mesmo para o período. Em janeiro de 2017, o LIRAa mostrou resultado de 6,5%. No mesmo mês de 2018, aumentou para 8,7%, subindo para 19,7% no último levantamento, realizado ente 7 e 10 de janeiro de 2019. Conforme classificação do Ministério da Saúde (MS), resultados acima de 3,9% já representam risco de epidemia de dengue.

Fonte: Divisão de Vigilância Sanitária

Focos e locais

Para realizar o levantamento e fazer o controle das atividades, a Divisão de Vigilância Sanitária separa o município em áreas. Os conjuntos Sendese e Vila Rural são os que apresentam menor índice. Já os principais focos de larvas do mosquito são os lixos (recipientes plásticos, latas), sucatas e entulhos; pequenos depósitos móveis e depósitos baixos de armazenamento de água.

Dengue

Como explicou o responsável pela Vigilância Ambiental, Filipe Abelha, apesar de haver grande infestação de larvas, conforme mostra o levantamento, não está ocorrendo a circulação viral. Isso significa que os mosquitos não estão contaminados com o vírus da dengue.

LEIA TAMBÉM:
Com Bela Vista em alto risco de epidemia, Saúde realiza ‘arrastão’ contra a dengue

Outro fator que pode ter ajudado a frear os casos de dengue foram as vacinações contra o vírus. De acordo com a coordenadora da atenção básica, Ana Paula Ferracin, o município atingiu 100% da meta de vacinação. “Nós estamos fazendo bastantes notificações de suspeitas, mas não está dando nada [confirmado]. Nós fazemos o acompanhamento para ver se a pessoas vai desenvolver a dengue, mas não tivemos nenhum”. Segundo ela, o último caso confirmado de dengue em Bela Vista ocorreu em janeiro de 2018. Foi o único registrado naquele ano.


”Anúncio”/