Com Bela Vista em alto risco de epidemia, Saúde realiza ‘arrastão’ contra a dengue

Foto: Divulgação

Agentes atenção básica de saúde, enfermeiras e agentes de endemias estão realizando um ‘arrastão’ contra o mosquito da dengue em Bela Vista do Paraíso. O grupo de trabalho foi formado depois que o primeiro LIRAa (Levantamento Rápido de Infestação do Aedes aegypti) mostrou que a cidade está em alto risco de epidemia de dengue. Segundo o Ministério da Saúde, índice maior do que 3,9% é considerado de risco. Bela Vista está com 19,7%, ou seja, quase 20% do município tem larvas do mosquito.

LEIA TAMBÉM:
Risco de epidemia de dengue em Bela Vista atinge maior patamar dos últimos anos

O ‘arrastão’ está sendo feito por agentes da atenção básica de saúde, enfermeiras e agentes de endemias. Foto: Divulgação

Os profissionais estão passando nas residências e terrenos baldios para eliminar focos de larvas e para pedir que a população faça a limpeza dos quintais. Além disso, os agentes estão instruindo os moradores dos locais que já foram visitados para que retirem entulhos, como sofás e colchões velhos. No final de cada semana, funcionários da Prefeitura Municipal vão recolher esses objetos e materiais. De acordo com o chefe da Divisão de Endemias, Vanderley Estruzani, esse serviço não vai ser oferecido de forma contínua: “Vai ser somente nesse arrastão. Não vai ser rotina”.

RECEBA AS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP
envie #Telégrafo para 98851-7034

A Prefeitura Municipal vai recolher entulhos. Foto: Divulgação

Por causa do alto índice de infestação, o Departamento de Saúde de Bela Vista vai receber o reforço de profissionais da 17ª Regional de Saúde, que vai atuar na conscientização. Para a coordenadora da atenção básica, Ana Paula Ferracin, a conscientização dos cidadãos é a parte mais importante. “Porque o mosquito transmite não só a dengue, mas tem o zika, a chikungunya, que causa a microcefalia nas crianças, e a febre amarela. Então é um mosquito que causa várias doenças e a população às vezes não leva à sério”, disse.

Ela lembrou que, devido ao arrastão, o departamento precisou retirar servidores dos postos de saúde para recolherem lixos dos quintais. Vanderlei Estruzani lembra que cada cidadão deve limpar o próprio quintal, ficando para os agentes apenas a responsabilidade de fiscalização. “Tem gente que fala para os nossos funcionários: ‘vocês demoraram demais para virem retirar o lixo do quintal'”, contou.

Durante o trabalho, os agentes estão encontrando diversos entulhos, reservatórios e bacias com água acumulada e focos de dengue. Outros depósitos principais são os vasos de flor e recipientes ou grandes objetos para coletar água de chuva.


”Anúncio”/