Com diversos problemas na estrutura, parte do prédio do ambulatório é demolida

Foto do ambulatório durante as obras de demolição. 17/01/19.

Parte do prédio do Ambulatório Municipal, na avenida José Manoel dos Reis, no centro de Bela Vista do Paraíso, foi demolida. O prédio estava com vários problemas estruturais que traziam riscos para os funcionários que trabalham no local. Os serviços que já eram oferecidos no prédio continuarão na parte que será mantida.

RECEBA AS NOTÍCIAS PELO WHATSAPP
envie #Telégrafo para 98851-7034

O trabalho de demolição está sendo feito por uma empresa contratada para realizar reparos em prédios do município. Segundo a engenheira municipal Rosângela Rabello, não havia como apenas isolar a área, já que se tratava de uma estrutura única, que poderia comprometer todo o prédio.

Em outubro de 2018, o vereador e engenheiro civil Alex Pinheiro visitou o local a pedido dos servidores. Segundo ele, havia grandes rachaduras, infiltração, paredes tortas, o piso estava cedendo, com erosão no solo, e a cobertura estava comprometida, “querendo vir abaixo em alguns trechos”. “Eu me assustei com a situação da estrutura”, relatou.

“Por se tratar de um prédio antigo e com falta de reparo nos muitos anos que se passaram – só faziam uma pintura para tentar esconder os problemas estruturais – chegou na situação que estava”, disse Alex Pinheiro.

De acordo com o diretor do Departamento de Saúde, Ricardo Bandolin, a parte do Ambulatório que foi mantida vai abrigar a Farmácia Municipal, o agendamento de consultas e exames e um depósito. “A outra parte, onde funcionava o agendamento, futuramente nós vamos fazer uma pequena reforma para por em funcionamento ali o Departamento de Saúde, para a gente deixar de pagar aluguel onde pagamos atualmente”, informou. Segundo o diretor, a ideia é que futuramente o prédio seja reformado para oferecer outras atividades.

Já o vereador conta que defendeu que o imóvel inteiro fosse demolido. “O pessoal [do Departamento de Saúde] queria que a farmácia e o agendamento permanecessem em uma determinada região do prédio que não estava comprometida. No meu ponto de vista técnico, na hora que começasse a demolição de parte do prédio, o que iria acontecer é que o restante da estrutura ficaria comprometida também, porque você vai tirando de um lado e ele vai cedendo do outro. Mas eu fiquei sabendo que eles acharam por bem demolir apenas parte do prédio”, relatou.

No entanto, ele disse acreditar que a decisão do Departamento de Saúde tenha sido respaldada pela 17ª Regional de Saúde, pela Defesa Sanitária e Defesa Civil. Até o fechamento da matéria, o departamento não havia confirmado essa informação.


”Facebook”/